Substâncias nutricionais para redução do estrogênio em homens

2019-09-10T18:31:03+00:0010 de setembro de 2019|Benefícios da dieta|

Atletas constantemente procuram substâncias nutricionais para melhorar a performance esportiva, principalmente se o efeito estiver relacionado com modulação hormonal. Existe hoje uma linha de suplementos chamados “antiaromatizantes” ou “bloqueadores de estrogênio” ou “inibidores da aromatase” (IA).

Sobre a produção hormonal

Primeiramente, é importante salientar algumas informações sobre a produção hormonal. A testosterona é um hormônio derivado do colesterol e quase que exclusivamente tem ligação com proteínas plasmáticas, como a albumina (40% de ligação) e a Globulina de ligação de hormônios sexuais (40% de ligação), conhecida também como SHBG (sex-hormone-binding-globulin). Cerca de 20% da testosterone é encontrada livre, sem ligação com nenhuma destas proteinas. Desta forma, o hormônio livre pode se ligar ao receptor androgênico muscular, ativando a expressão gênica responsável pela hipertrofia muscular. Porém, dependendo da quantidade de testosterona, uma vez ligada as proteínas plasmaticas e ao receptor, ela pode ser convertida em Dihidrotestosterona (DHT) e estradiol, sendo responsável por essas ações a 5-a redutase e aromatase, respectivamente.

Enzima Aromatase

Para um melhor entendimento, iremos abordar apenas a enzima aromatase. A indiciacão de fitoterápicos e nutracêuticos que podem modular a conversão estrogênica da testosterona, tem alvo específico: a classe de enzimas chamadas aromatases. Basicamente essa grupo de enzimas oxidoredutases endógenas são encontradas no retículo endoplasmático das células produtoras de estrogênio, incluindo os ovários, placenta, células de Sertoli, células de Leydig, adipócitos e cérebro.

Mas quais são os principais efeitos do excesso de estrogênio para os homens:

  • retenção hídrica;
  • deposição de gordura na parte das costas e peitoral;
  • queda da libido;
  • dificuldade no ganho de massa muscular.

O quadro abaixo mostra a ação dos IA.

Inibidores de Aromatase

Com uso de esteróides anabólicos (EA), comumente é utilizado o fármaco anastrozol, que na verdade é indicado para tratamento do câncer de mama inicial em mulheres, para reduzir a conversão do excesso de EA exógenos, em estradiol (quadro).

Desta forma, as industrias produtoras de suplementos nutricionais, normalmente possuem em sua equipe científica bioquímicos, farmacêuticos, nutricionistas que inscessamente procuram trabalhos científicos utilizando estudos in vitro e in vivo, com ervas ou extratos de raízes e plantas, nutracêuticos e substâncias bioativas em alimentos vegetais, que tenham propriedades de inibição da aromatase (IAs).

Relação Testo:Estro

O efeito fisiológico mais coerente é suprimir os níveis de estrogênio, e com isso aumentar a testosterona endógena livre. Isto tem efeitos significativos na relação Testo:Estro, essa por sua vez demonstra qual é o hormônio predominante (no caso do homem a testosterona), mas que pode ter seus níveis de estrogênio elevados (andropausa ou uso de EA). Mesmo que o indivíduo engajado no treinamento de força não faça uso de EA, ele tem a alternativa de diminuir sua produção estrogênica, com os suplementos IA.

Como temos uma lista muito vasta de substâncias e cada uma possuem caracteristicas bioquímicas diferentes, vamos citar alguns: 

Polifenois: Apigenina, Crisina, Kaempferol, Luteolina, Naringina, Quercetina, Resveratrol.

Acesse nosso conteúdo exclusivo e
receba as melhores dicas de nutrição esportiva!

Ervas: Epilobium, Chá verde, Lúpulo, Urtiga (fonte de Beta-sitosterol e acido octadecadienico), Pygeum.

Essas substâncias funcionam?

Agora que conhecemos os efeitos e as substâncias vem a pergunta clássica: Funcionam? Posso responder: depende. Para analisar se este tipo de produto funciona em meu paciente, primeiramente preciso saber seu perfil hormonal, assim solicitando exames bioquímicos consigo mortrar ao paciente que determinado produto foi eficaz ou não. Testosterona livre, SHBG, estradiol, estrogênio, LH e FSH podem mostrar isso nos exames. Mas observo efeitos distintos, em algumas pessoas temos bons resultados e em outras nem tanto.

Finalizando, considere tudo que foi colocado neste texto e veja se esse tipo de suplemento pode ajudar a alcançar seus objetivos, pois sem uma avaliação bioquímica e antropométrica, qualquer resultado é empirico e claro, procure seu nutricionista esportivo para que ele possa organizar a suplementação mais adequada a você.

Referências:

MARY ANN LILA AND ILYA RASKIN. Health-related Interactions of Phytochemicals. JOURNAL OF FOOD SCIENCE—Vol. 70, Nr. 1, 2005.

Auborn K, Fan S, Rosen EM, Goodwin L, Chandraskaren A, Williams DE, Chen DZ, Carter T.H. 2003. Indole-3-carbinol is a negative regulator of estrogen. J Nutr 133:2470S–5S

Foto de Rojo creado por jcstudio – www.freepik.es